Apresentação

O Brasil possui uma rica biodiversidade presente em seus diferentes ecossistemas detentores de espécies vegetais com valor medicinal. A fava d´anta ou favela, cientificamente conhecida como Dimorphandra mollis Benth(foto) é uma leguminosa presente no Cerrado brasileiro, principalmente no norte e noroeste do estado de Minas Gerais (no mapa região de Paracatu e Montes Claros), apresentando um teor elevado de rutina (acima de 15%). Embora as indústrias estejam explorando comercialmente os produtos obtidos de espécies vegetais, não assumem qualquer responsabilidade quanto à forma de obtenção das matérias-primas, a verticalização de seus produtos e o tratamento de rejeitos e efluentes decorrentes do processo de produção.

A fava é uma importante ocupação da mão-de-obra na área rural durante quatro meses por ano. Pequenos produtores, trabalhadores rurais e até mesmo famílias inteiras utilizam a catação da fava como uma fonte de recurso para subsistência ou como complementação da renda, o que representa até 12% da manutenção das famílias do norte do Estado.
O País produz quantidade apreciável de rutina em condições sócio-econômico-tecnológico e cultural precárias.
Há anos milhares de famílias de catadores de fava d´anta vivem a margem da dignidade humana, apesar do produto final – a rutina – possuir alto valor tecnológico agregado.

Dimorphandra mollis Benth – Fava d´anta – Faveiro – Favela – Falso barbatimão, etc, planta cientificamente conhecida como Dimorphandra mollis Benth, é uma leguminosa presente no bioma Cerrado brasileiro, principalmente no norte e noroeste do estado de Minas Gerais, apresentando um teor elevado de rutina (acima de 15%) que também aparece em outras espécies do gênero Dimorphandra. A rutina, um bioflavonóide extraído a partir de inúmeras espécies vegetais, é utilizada como medicamento no tratamento de varizes, hemorróidas e fragilidade dos vasos sanguíneos; como suplemento alimentício é utilizada como vitamina P, aumentando a absorção de vitamina C pelo organismo. É também um poderoso antioxidante preventivo da aterosclerose e protetor na barreira hematoencefálica. Pode ser usado também na indústria de fitocosmético.

Entre as principais características da rutina estão:
• produto 100% natural;
• aumenta a absorção de vitamina C no organismo;
• tem ação antioxidante que previne a formação de radicais livres;
• favorece o controle da hipertensão;
• atua preventivamente no processo de envelhecimento;
• aumenta a resistência dos vasos capilares;
• auxilia na prevenção e tratamento de hemorróidas;
• auxilia na prevenção e tratamento de varizes;
• possui ação diurética;
• auxilia como protetor na BHE – Barreira Hemato Encefálica

OBJETIVO GERAL DO PROJETO

O projeto objetiva estimular o desenvolvimento de atividades intersetoriais voltadas à produção extrativista e ao cultivo de plantas medicinais do Cerrado. Contribuir para a promoção da saúde, à produção de insumos para aindústria farmacêutica e produtos de valor agregado, à adequaçãotecnológica dos setores farmacêutico e agronômico e à geração deemprego, renda e trabalho fundamentadas no desenvolvimento sustentável e no manejo racional da biodiversidade do cerrado, especialmente na região norte do Estado de Minas Gerais, considerando o tripé: social, econômico eecológicos.

Pretende também, organizar a cadeia produtiva da Fava d´anta e de outras plantas medicinais capacitando os pequenos agricultores a terem emprego e renda durante todo o ano.

Elaborar e apresentar um planejamento que irá favorecer investimentos públicos e/ou privados na implantação de uma indústria de beneficiamento e agregação de valor às plantas bioativas do cerrado.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Realizar levantamento técnico do extrativismo e do potencial da fava d’anta nos municípios localizados no bioma Cerrado;
  • Capacitar os pequenos agricultores a implantar o cultivo de plantas medicinais de forma eco-sustentável visando o mercado emergente de fitofármacos, fitomedicamentos e fitocosméticos.
  • Reduzir a exploração predatória dos recursos naturais através da capacitação de recursos humanos, da educação ambiental até a comercialização justa e solidária dos frutos do cerrado;
  • Melhorar a remuneração dos produtores rurais com a recolocação de atravessadores e agregação de valor aos produtos;
  • Utilizar a competência dos agentes envolvidos para criar conhecimentos multidisciplinares que contribuam para a exploração sustentável dos recursos naturais da região do Cerrado;
  • Desenvolver e transferir novas tecnologias de exploração eco-sustentável das plantas medicinais, agregar valor e verticalizar os seus produtos;
  • Captar recursos para a implantação de uma indústria de beneficiamento da Fava d´anta (Dimorphandra mollis) e de outras plantas bioativas, obtendo produtos como a rutina, derivados da rutina, galactomananos, entre outros.